O Que é Tratamento de Pacotes Biológicos [REAPROVEITE A ÁGUA]

O Que é Tratamento de Pacotes Biológicos [REAPROVEITE A ÁGUA]

 

Com os recursos hídricos se esgotando cada vez mais no planeta terra, métodos que proporcionem o reaproveitamento e maior racionalização da água, como o tratamento de pacotes biológicos, são sempre bem vindos.

Sendo o Brasil um país que conta com apenas 12% das reservas mundiais de água doce e que apresenta 70% dos seus rios contaminados, há necessidade urgente de um sistema de racionalização da água mais fortificado, pois se não houver nenhuma intervenção nesse sentido, a falta deste precioso liquido poderá ser um problema real nos próximos anos.

“Não deixe de saber o que é, quem pode usar e como é feito o tratamento de pacotes biológicos, já nos próximos tópicos deste post. Vamos lá!”

 

O que é tratamento de pacotes biológicos

De forma generalizada, o tratamento de pacotes biológicos é um processo químico que tem como finalidade retirar da água todos os resíduos biológicos provenientes de itens alimentícios de restaurantes, supermercados, instalações comerciais, organizações, etc.

O melhor deste tratamento, é que após a retirada dos resíduos da água, esses podem der reaproveitados como fertilizantes equilibrados, o que é possível devido a respiração anaeróbica que transforma os resíduos biológicos em biogás.

Dependendo do tipo de processo químico usado no tratamento de resíduos biológicos, a água obtida pode ser usada para várias finalidades, como para o consumo ou irrigação.

 

Quem pode usar esse tipo de tratamento

Esta forma inovadora de racionalizar a água vem sendo usada por pessoas particulares e empresas que desejam poupar dinheiro na hora de pagar a conta de água.

Sendo que em alguns condomínios também é possível notar o uso de um sistema de tratamento de resíduos biológicos, onde a água obtida é usada para a irrigação dos jardins.

Esse tratamento ganha ainda mais horizonte por conta da sua facilidade de aplicação, já que o procedimento químico aqui é realizado em caminhões equipados para o efeito e que não prejudicam o meio ambiente.

Isso sem falar que os equipamentos empregues nesse processo são bem silenciosos e não contaminam o meio ambiente com nenhum cheiro estranho, por isso não há desculpas para o não uso deste método na racionalização da água.

O apelo é maior para as grandes indústrias, pois por serem as principais responsáveis pela liberação de resíduos biológicos que contaminam a água, é meio que obrigação das companhias desse setor zelar pelo tratamento e racionalização deste liquido precioso.

 

Como é feito o tratamento

Do mesmo jeito que nos preocupamos em saber como aplicar porcelanato liquido quando chega a hora de embelezar o piso do nosso lar, também devemos demostrar algum interesse em como é feito o tratamento de pacotes biológicos.

Em grandes centros de tratamento dos efluentes, este processo é realizado com o auxílio de maquinas concebidas especialmente para essa função, já que nesses locais a quantidade de matéria orgânica e nutrientes a serem retirados, é bem elevada.

Mas em geral, o tipo de tratamento biológico a ser empregue vai depender da “caracterização” do efluente em questão, sendo que é a natureza e capacidade de consumir oxigênio deste, que vai servir de base no momento da escolha do método ideal para prosseguir com o tratamento.

Sendo assim, com a capacidade de consumir oxigênio, ou seja, a carga orgânica já determinada por uma análise de BDO/DQO, já pode se partir para a seleção do método a ser empregue no tratamento biológico do efluente, valendo salientar que existem duas opções disponíveis nessa hora, o tratamento aeróbio e o anaeróbio.

Acontecendo que tanto no tratamento aeróbio como no anaeróbio, a finalidade é reduzir a carga orgânica, de modo que esta desça para valores baixos, ocasionando dessa forma o menor consumo de oxigênio na água e no resíduo liquido do efluente.

“Não deixe de conferir como cada um desses processos funciona, já a seguir”

Tratamento biológico anaeróbio: sendo um processo que envolve áreas maiores, este tratamento é feito em grandes e numerosos lagos, que se encontram montados em série.

O ponto positivo deste tratamento de efluentes, reside no fato dele não exigir investimentos na compra de equipamentos e por ser um projeto bem simplificado.

Tratamento biológico aeróbio: por ser um método que não precisa de grandes áreas, este processo pode ser aplicado em condomínios e empresas que buscam por um tratamento mais eficiente e seguro dos efluentes.

No tratamento biológico aeróbio, são instalados aeradores que possibilita a melhor oxigenação da água e redução mais eficiente da carga orgânica.

Além desses dois procedimentos, também existe o tratamento biológico seletivo, que utiliza um processo que seleciona bactérias especialmente para cada tipo de resíduo presente no efluente.

Sendo que o mais usado no caso de águas residuais, é o processo de lama, que é aplicado no tratamento biológico por conta das bactérias únicas de floculação que ficam suspensas nesse tipo de água, as quais são responsáveis pela ocorrência da oxidação.

Valendo salientar que para a criação de condições propícias para a atuação dessas bactérias na diminuição da carga orgânica, as águas residuais e a lama devem ficar retidas.